Você compraria um carro usado pelo Michel Temer? escolha uma das alternativas abaixo:

 

  1. Só se o carro conhecer a pizzaria da maleta
  2. Só se vier com meio milhão em filé da Friboi
  3. Só se o motor aguentar 49 anos de trabalho
  4. Só se não for terceirizado
  5. Nem a pau, Juvenal

 

 

Pois é. Com Temer é assim. Antes de cravar o que pensa, o povo questiona, pois não confia no neoliberalismo, de capital selvagem, proposto pelo atual governo, nem por decreto. Afinal, em dois anos de administração, ele acabou com a lavoura do brasileiro. Um exemplo? Vamos lá:

 

Nos últimos quatro anos, o setor imobiliário do Brasil sofreu uma mudança drástica.

 

O preço médio dos imóveis caiu cerca de 19% em relação a 2014 e as taxas de juros para financiamento estão muito próximas das mínimas históricas.

 

O total de crédito imobiliário novo nos últimos 12 meses (registra a Folha de S. Paulo) é 50% menor do que há quatro anos, para pessoas físicas.

Para pessoas jurídicas, a baixa real (descontada a inflação) é de cerca de 80%.

 

Mesmo assim, a Caixa Econômica Federal, que detém quase 70% do mercado de financiamento imobiliário, prevê que haverá estagnação no setor imobiliário em 2019.

 

Ninguém realiza o sonho da casa própria porque Temer navega num mar de incertezas morais e jurídicas. Com o parque imobiliário parado, novas iniciativas ficam engavetadas. A roda da construção civil parou. Com isso, a falta de emprego no setor, que já é grande, só tende a aumentar.

 

Não foi por falta de aviso. Temer sabe muito bem que, sem incrementar o setor, não pode haver desenvolvimento e empregabilidade plena.

 

Sempre digo que, quando se investe R$ 1 bilhão na construção, gera-se 15.157 empregos diretos e com carteira assinada. Mais os indiretos, esse número supera os 51 mil. Além disso, o montante investido representa a construção de 13.788 moradias.

 

A construção civil, portanto, é um dos melhores caminhos para que o Brasil volte aos trilhos do desenvolvimento. Só que Temer é a demolição do setor.

 

Sintracon-SP

notícias

vídeos

siga-nos