2 mil indústrias fecham as portas em poucos meses em SP

Mais de 2 mil fábricas entre janeiro e maio desse ano fecharam suas portas em São Paulo.

Como se sabe, o Estado bandeirante é o maior polo industrial do País. Ou seja: se a coisa aqui está nessa draga, que dirá no resto do Brasil.

A cada indústria falida, dezenas, centenas, milhares de trabalhadores ficam desempregados.

Portanto, o atual governo não está fazendo absolutamente nada para estancar uma crise que persiste, devido à falta de investimentos.

Todos que me acompanham sabem. Sempre digo que o País não sairá do buraco sem uma indústria forte, produzindo riquezas e distribuindo renda de forma justa e mais igualitária.

Jair Bolsonaro, não faz a lição de casa. Ele e seus fritadores de hamburgueres neoliberais acreditam piamente que a reforma trabalhista, da Previdência e o desenvolvimento de uma política de trabalho informal e terceirizado vai afastar a crise. Não. Tais medidas trarão mais desemprego, desalento e traumas sociais.

Ou o Brasil aposta todas as fichas no desenvolvimento das indústrias e demais setores produtivos, ou a hemorragia não será contida.

Ramalho da Construção

Presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil de São Paulo

 

siga-nos