A convenção coletiva ainda não foi assinada! Leia e entenda melhor

PUBLICADO EM 31/05/2019

O que temos até agora, companheiros, é uma recomendação do Exm°. Sr. Desembargador Instrutor Davi Furtado Meirelles, que foi conciliada com o Exm°. Sr. Procurador Regional do Trabalho, Claude Henri Appy, a qual é extremamente importante e que tem grandes chances de ser aprovada pelo Sinduscon-SP (Sindicato Patronal, aquele que representa os patrões).

Nela, conseguimos incluir diversos itens que são de interesse dos trabalhadores da construção civil! Podemos dar destaque ao reajuste salarial de 5,07% e a manutenção de todas as cláusulas sociais, exceto duas, que vamos explicar melhor abaixo, ligando com outras cláusulas de grande relevância que conseguimos registrar também nesta recomendação:

– O café da manhã agora deve ser disponibilizado até o início da jornada de trabalho e deverá conter os seguintes itens obrigatoriamente: café com leite do tipo “pingado”, em recipientes separados; dois lanches com margarina e queijo, equivalente ao padrão servido nas padarias; e uma fruta da época;

– O lanche da tarde agora deverá ser disponibilizado obrigatoriamente a partir das 15 horas (para que não fique azedo) e deve possuir os seguintes itens: café com leite do tipo “pingado”, ou suco, ou isotônico; e um lanche de margarina e queijo, também equivalente aos servidos nas padarias, para que a qualidade seja garantida;

– Vale-alimentação de R$ 315,00; ou vale-refeição de R$ 22,20; ou a empresa pode oferecer almoço completo (não é a mesma coisa que marmitex) no local de trabalho para canteiros com mais de 120 trabalhadores, que deverá seguir uma alimentação balanceada, de qualidade, e que esteja dentro das condições da NR18 (lembrando que o fornecimento da refeição é de responsabilidade da majoritária);

– Estabilidade após a greve para todos os trabalhadores da construção civil, ou seja, ninguém pode ser demitido dentro do período que pode ser de até 90 dias;

– Os trabalhadores serão pagos pelos quatro dias da greve, sendo que dois serão abonados e os outros dois poderão ser compensados, cuja forma de compensação poderá ser negociada pelo Sintracon-SP diretamente com as empresas;

Caso o Sinduscon-SP não aceite estas recomendações na reunião que fará com todos seus representantes, e os dois sindicatos (Sintracon-SP e Sinduscon-SP) não entrarem em um acordo, o nosso sindicato poderá retomar sua greve na quinta-feira, 06 de junho, e mantê-la até o julgamento da convenção coletiva.

Embora esta recomendação tenha grandes chances de ser aprovada, não podemos podemos cantar vitória antes de nossa guerra acabar.  

Nossa luta continua, companheiros!!

siga-nos