Adicionais aumentam o valor da aposentadoria

A aposentadoria dos segurados do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) é calculada com base nos 80% maiores salários recebidos desde julho de 1994.Porém, o trabalhador que recebe verbas adicionais deve ficar atento para que o valor completo da sua remuneração mensal seja considerado no cálculo do benefício.Horas extras, adicionais de periculosidade ou insalubridade e toda verba em que há desconto mensal de contribuição previdenciária devem ser considerados.”Entram na conta o salário registrado na carteira de trabalho e todas as verbas salariais”, explica o advogado Rômulo Saraiva.As verbas adicionais podem garantir uma aposentadoria mais vantajosa.O problema é que, muitas vezes, o empregador paga esses valores por fora ou não os considera quando calcula a contribuição que recolherá para o INSS todos os meses.

É o caso, por exemplo, do patrão que faz o recolhimento à Previdência Social somente sobre o valor do salário do trabalhador, mas não inclui as horas extras que foram pagas naquele mês. “O trabalhador não pode ser prejudicado se o patrão não fez os recolhimentos corretamente”, afirma o advogado Luiz Pereira Veríssimo, do Ieprev (Instituto de Estudos Previdenciários). Para verificar se houve erro, o trabalhador precisa conferir no Cnis (cadastro de contribuições), ou na carta de concessão do benefício se o valor que está registrado corresponde à remuneração recebida, incluindo os adicionais. Se houver erro, o segurado pode comprovar o valor real da remuneração mensal por meio de seus holerites.
Auxílios
Quem recebeu auxílio-doença pode incluir os valores no cálculo da média salarial da aposentadoria. Para isso, precisará ter ao menos mais uma contribuição ao INSS depois do fim do auxílio.
O auxílio-acidente será somado ao salário do segurado e também poderá aumentar o benefício.

 

33

Fonte: Jornal Agora

siga-nos