Afronta a direitos trabalhistas

Diálogo com os trabalhadores não faz parte do governo petista de Dilma Roussef.
Sendo assim, resta às centrais trabalhistas protestarem e pressionarem os Poderes a, pelo menos, não punirem ainda mais o trabalhador.
Dessa forma, com mobilização, sindicalistas e o deputado federal Paulinho da Força (presidente nacional do Solidariedade) conseguiram uma grande vitória no Legislativo.
O plenário da Câmara decidiu retirar da Medida Provisória (MP) 680/15, a emenda que determinava que a Convenção Coletiva de Trabalho iria prevalecer sobre a Lei, inviabilizando direitos previstos na Constituição federal.
Paulinho comemorou a retirada do item que, segundo ele, prejudicaria -e muito -os trabalhadores.
Ramalho opina: “Segundo o sindicalista e deputado estadual Ramalho da Construção (PSDB-SP), a classe trabalhadora ficaria ainda mais debilitada com a emenda, especialmente nesse momento de crise.A teia estava armada. E a aranha do capital pronta para dar o bote. Direitos conquistados como férias poderiam ser suprimidos em uma mesa de negociações. É necessário um estudo mais profundo sobre o tema, pois direitos trabalhistas foram conquistados com muita luta e sacrifício”, afirma Ramalho.

siga-nos