Após 200 mil perícias, governo cancela auxílio-doença de 180 mil pessoas

El Cid. Os mais velhos hão de se lembrar do filme e da história de vida do herói que contribuiu para a unificação da Espanha. A atriz era a italiana Sophia Loren, o que basta para recuperar qualquer memória cansada. O ator, Charlton Heston, responsável pelo suspiro de moçoilas.
 
No final da película, vemos um El Cid morto e, mesmo assim, posto em cima de seu cavalo, numa operação espanta inimigo, que deu certo.
 
Boas lembranças à parte, fico sabendo que após 200 mil perícias, o famigerado governo Temer cancelou o auxílio-doença de 180 mil pessoas, pretendendo economizar R$ 2,6 bilhões por ano.
 
Imagino que os peritos do INSS não aceitaram nem atestado de óbito. Retiraram gente da tumba e mandaram de volta ao batente. Trata-se, portanto, de um processo de ressureição coletiva, onde não faltaram recursos mediúnicos.
 
Pois bem, chega-se à conclusão que o Brasil é um País de El Cid, esperando que a justiça venha a cavalo, com saúde salubérrima, de vaca premiada…
 
Nesse vale-tudo, valha-me Deus…
 
Ramalho da Construção

 

Sindicalista e deputado estadual pelo PSDB-SP

siga-nos