Aposentadorias por tempo de contribuição aumentam 35%

 
 Segundo o INSS -Instituto Nacional do Seguro Social, o número de aposentadorias por tempo de contribuição -modalidade que será extinta com a aprovação da PEC (Proposta de Emenda Constitucional) 287/2016, a Proposta de Emenda Constitucional da Reforma na Previdência -aumentou 35% em 2016.
 
De acordo com o presidente do Sintracon-SP (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil de São Paulo), Antonio de Sousa Ramalho, o Ramalho da Construção, a modalidade não pode ser extinta. Pois, de qualquer maneira, os contribuintes deverão trabalhar mais, o que pode acarretar em problemas físicos e mentais.
 
 “A PEC 287/2016, encaminhada pelo Governo Federal, obriga o trabalhador ter a idade mínima de 65 anos e, ao menos, 25 de contribuição para conseguir sua aposentadoria. O Sintracon-SP, de fato, não vê essa medida como vantajosa para a classe trabalhadora. Claramente, o contribuinte será prejudicado, principalmente na construção civil, onde os trabalhadores fazem bastante força e lidam com riscos diários”, afirma Ramalho.
 
Comparação
 
Em 2015, foram concedidas 320 mil novas aposentadorias por tempo de contribuição. Em 2016, no entanto, o número teve alta de 35%, originando 432 mil novas concessões.
 
O que prevê a reforma?
 
Idade mínima -O trabalhador deve ter, pelo menos, 65 anos para conseguir sua aposentadoria.
Contribuição -A proposta aumenta de 15 para 25 anos o tempo de contribuição com a Previdência Social.
Pensão por Morte -É proibido o acúmulo de pensão por morte e aposentadoria.

siga-nos