Artigo – A montanha pariu um rato

Foto: George Campos / USP Imagens
Acredita, Vossa Excelência, que pode levar vantagem por, segundo ele, não haver falado nada conclusivo na gravação. Ou seja: pode haver duplo sentido e, em dúvida, pró-réu.
 
A faixa presidencial não explica porque recebeu em sua casa, no Palácio do Jaburu, um empresário investigado em pelo menos oito processos da Lava Jato.
 
Ao longo do descontraído bate-papo, a figura maior da República ouviu coisas do arco da velha, desde suborno a “juízes” até caminho de propinas, elaborados para ludibriar qualquer GPS. E se calou.
 
Pergunto: O maior mandatário do nosso País, não pensou em chamar a polícia, ou mesmo dar ele próprio voz de prisão a tão malfadado visitante?
 
Se na fala do presidente há, a meu ver, provas substanciais da submissão do senhor presidente em assuntos obscuros, em seu silêncio perante certas afirmativas de seu interlocutor, existe a mais escancarada leviandade. O povo brasileiro foi traído sim!
 
 
Ramalho da Construção

 

Sindicalista e deputado estadual pelo PSDB-SP

siga-nos