ARTIGO – Quem adultera alimentos merece prisão perpétua!

O caminho a seguir é sempre o espiritual, mas a carne é fraca.
 
Pois é. A expressão carne fraca, eu, pelo menos, só conhecia no sentido religioso. Era a fraqueza da carne que nos levava a cometer erros, pecados etc. etc.
 
Jamais aliei a frase ao sentido de uma operação deflagrada pela Polícia Federal literalmente ligada à contaminação e adulteração da carne enquanto alimento a se pôr na mesa.
 
Mas o Brasil sempre surpreende, não é mesmo? E, assim, nossa sociedade, estarrecida, tomou conhecimento, no último dia 17 de março, de mais um escândalo de proporções internacionais.
 
Relatou a mídia a existência de uma rede formada por inspetores sanitários e grandes frigoríficos para vender carne e outros produtos “maquiados com ácido e substâncias cancerígenas, tanto para consumo interno como para exportação”.
 
Nem é preciso dizer da repercussão negativa que ocorreu em nosso País e no mundo. Sim, pois vender carne podre é algo criminoso e abjeto.
 
Essa máfia, essa gangue, só pode existir por confiar na impunidade.
 
Nosso povo, tão combalido pelo desemprego e falta de oportunidades, só tem um caminho neste trágico caso: o de exigir a divulgação de todos os envolvidos.
 
De cara, podemos afirmar que há uma total falta de controle e de fiscalização. Isso combinado com farta distribuição de propinas lançadas no mar da corrupção desenfreada.
 
Não podemos pecar por memória curta. Deixar que o tempo nos faça esquecer de tamanha atrocidade, como sempre se tenta fazer, vide o caso da “Tragédia de Mariana”, onde a incompetência matou um rio.
 
Não cabe, no assunto, a tática da protelação, sempre utilizada por advogados de alto coturno na defesa do indefensável.
 
Com sua morosidade altamente conhecida, o Poder Judiciário acaba dando tempo ao tempo. E assim como se vê na Lava Jato, os bandidos ou acabam sendo absolvidos ou recebendo suaves condenações.
 
Quem coloca veneno em produtos alimentícios, ou permitiu que isto acontecesse, merece prisão. E das pesadas.
 
Ramalho da Construção
 
Sindicalista e deputado estadual pelo PSDB-SP

siga-nos