As Negociações continuam!

As negociações da próxima Convenção Coletiva de Trabalho da nossa categoria continuam.

Após várias rodadas, nosso Sindicato, o dos Trabalhadores da Construção Civil de São Paulo (Sintracon-SP), ainda não está satisfeito com as propostas feitas pela entidade representativa dos patrões, o SindusCon-SP.

A crise econômica brasileira, motivada em boa parte por corrupções sem precedentes, vem sendo o principal obstáculo.

Ramalho da Construção, líder da categoria, não está se deixando levar por tal argumento dos empresários.

“Os patrões estão sentados no saco do dinheiro. Desde que Cabral descobriu o Brasil, lucram demasiadamente, sem nunca pensar no trabalhador, cujo salário tende a ser cada vez menor e precarizado. Portanto, não aceitamos esse estado de coisas. Queremos aumento real de salários, ou seja, com percentual acima da inflação”, diz o sindicalista.

Para Ramalho, a categoria já demonstrou sua força de mobilização ao longo dos últimos anos, quando o Sindicato obteve 12 aumentos reais consecutivos.

“O trabalhador não tem culpa dos desmandos do governo federal. Com o processo inflacionário crescendo do jeito que está, nosso poder aquisitivo sofrerá grandes impactos ao longo de 2015. O nosso histórico de lutas não permite que aceitemos esmolas goela abaixo”, pondera.

Segundo Ramalho, ninguém poderá dizer que o Sintracon-SP não fez do diálogo sua principal arma de atuação. Mas, se ao longo de maio as propostas não chegarem a um patamar digno daqueles que efetivamente constroem o País com seu suor, não haverá outra alternativa senão a deflagração de uma greve geral no setor.

“Que todos estejam preparados. O coração dos patrões bate no bolso. Para garantir lucro, são capazes de tudo, até de usar a crise econômica como desculpa para achatar salários e tirar benefícios da classe trabalhadora. Não conseguirão”, conclui Ramalho da Construção.

—————

Veja as reivindicações dos trabalhadores:

01. PLR
I) Considerando as disposições contidas na Lei que regulamenta a participação dos trabalhadores nos lucros ou resultados das empresas, pleiteia-se PLR para todos os trabalhadores, inclusive os das contratadas e subcontratadas.
02. Acesso de representante sindical nos locais de trabalho
I) As empresas admitirão o acesso do representante sindical no canteiro de obras ou frente de trabalho para verificação do cumprimento das normas regulamentadoras sobre segurança e saúde no trabalho, como também o acompanhamento nas visitas realizadas pelo Sindicato;
II) A empresa disponibilizará uma sala para o Sindicato nos locais de obra ou frente de trabalho para os representantes desta entidade executarem suas atividades sindicais;
03. Comissão no canteiro de obra/administração
I) Constituir comissão para solucionar conflitos nos canteiros de obra com mais de 70 trabalhadores, cujos participantes serão eleitos, com orientação do Sindicato, da seguinte forma:
a) Obras de 70 a 120 trabalhadores, 3 representantes;
b) De 121 a 200 trabalhadores, 4 representantes;
c) De 201 a 500, 5 representantes;
d) Acima de 501 trabalhadores, 7 representantes;
e) Será garantida estabilidade ao representante enquanto perdurar as negociações, até 60 dias após o encerramento do conflito.
04. Lavanderia de Vestimentas
I) De dois em dois dias, a vestimenta do trabalhador deverá ser lavada, passada e entregue no local de trabalho;
5. Kit de Higiene
I) Fornecimento de kit higiene pessoal nas obras, toalha, escova de dente, creme dental, papel higiênico, sabonete.
6. Primeiros socorros
I) As empresas manterão em local apropriado e de fácil acesso, serviço de primeiros socorros, o qual conterá os medicamentos básicos;
II) Tratando-se de empresa com mais de 100 empregados, a mesma manterá enfermaria para atendimento de seus empregados, com pessoal habilitado;
III) Nas empresas com mais de 200 empregados haverá ambulância de plantão e 1 aparelho desfibrilador, bem como uma pessoa devidamente habilitada ao seu manuseio;
IV) Os serviços de primeiros socorros deverão atender todos os turnos de trabalho.
07. Assistência aos acidentados
I) Ocorrendo acidente do trabalho, as empresas custearão as despesas do empregado com tratamento médico laboratorial, inclusive fisioterapia, medicamentos, bem assim de locomoção e retorno a sua residência, para atendimento clinico e hospitalar;
II) Nos casos de gravidade, arcarão, também com as despesas hospitalares. Ainda, obriga-se o empregador a transportar o empregado, com urgência, para local apropriado, em caso de acidente, mal súbito ou parto.
08. Capacitação para assuntos relacionados com a segurança do trabalho
I) Será assegurado aos trabalhadores, tempo livre e remunerado, de no mínimo quatro horas semanais a cada dois meses, para participação em assembleias, reuniões, cursos, seminários e eventos sobre segurança do trabalho.
09. Respeito à mulher
I) Reserva de vagas a mulher;
II) Vedar a prática discriminatória contra a mulher (desde a admissão), e também do assédio sexual (violação de sua intimidade);
III) Disponibilizar para as empregadas, periodicamente, a realização de exames médicos para prevenção do câncer de colo do útero;
IV) Manutenção de local adequado para a higiene feminina;
V) Proibição de revista vexatória;
VI) Quando houver mulheres na área de produção deverá ter vestiário e banheiros separados.
10. Discriminação Racial, Religiosa e Partidária
I) As empresas deverão implantar políticas de orientação contra a discriminação racial, religiosa e partidária, em sintonia com as diretrizes do Governo Federal e legislação aplicável.
a) As empresas deverão apurar os casos de discriminação racial, religiosa e partidária, ocorridos em seu âmbito e também os praticados contra os seus empregados no cumprimento das suas atividades, sempre que a elas forem denunciados.
b) A denúncia aqui referida deverá ser dirigida pelo próprio empregado, por escrito, a área de gestão das empresas, para análise e encaminhamento, a qual deverá emitir cópia ao Sindicato.
10. Quadros de avisos do sindicato
I) As empresas colocarão a disposição do sindicato, um quadro para afixação de comunicados e informações de interesse dos trabalhadores.

siga-nos