AUTUAÇÃO – Operários estavam trabalhando sem registro e condições de seguran

15-12-2016 – Assessoria de Comunicação
 
A Base, Departamento de Fiscalização de Obras do Sintracon-SP – Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil de São Paulo, mais uma vez auxiliou trabalhadores a terem os seus direitos respeitados. Operários estavam sem receber os seus respectivos salários há um mês e procuraram a entidade para resolver este entrave. A solução prioritária para eles, pelo menos de pagamento, aconteceu no início da tarde de hoje, 15, e veio com o aviso de dispensa dos seus serviços.
 
No total 12 trabalhadores tiveram os seus direitos desrespeitados segundo a gerente da Base, Ana Paula Tavares. “Os operários estão construindo um prédio de quatro andares e sem registro em carteira. Outro agravante é a falta de segurança, pois até o fosso do elevador não possui sinalização. Também estão sem fornecimento de refeições e condições de alojamento. Desta forma tivemos que paralisar a obra”, reforçou.

Entre os operários lesados pela empresa, Faustino Maisce Bju, Alfa Kabinet Camara e Ocante Ca, encontraram a defesa dos seus direitos na atuação da entidade, juntamente com os seus demais companheiros. Eles são da Guiana e foram contratados por uma empreiteira sem CNPJ – Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica.
 
Ocante Ca comentou que estava aliviado e grato ao trabalho do sindicato. “Eu sabia da existência do Sintracon-SP, mas ainda não havia vindo. Gostei muito do atendimento. Agora vou viajar para Guiana mais tranquilo e volto em março. No retorno vou me associar”, comentou.
 
Atitude
A contratação de estrangeiros, como da Guiana ou do Haiti, é comum por parte dos empreiteiros locais, observa o presidente do Sintracon-SP, Antonio de Sousa Ramalho, o Ramalho da Construção. “A dificuldade da comunicação entre empregador e operários devido a língua estrangeira, muitas vezes desfavorece o trabalhador que acaba tendo os seus direitos desrespeitados. Estamos atentos a tais práticas e o departamento Base tem agido energicamente para que o operário não seja prejudicado”, comentou o presidente Ramalho.
 
LEGENDA: Alfa Kabinet e Ocante Ca: contentes com a atuação do Sintracon-SP

siga-nos