Brasil despenca sete posições em ranking de corrupção

A Operação Lava Jato é uma das mais importantes já feitas no Brasil. Se não houver intromissões em seu curso (tentativas não faltam), ocupará os livros de história do futuro como um passo fundamental para passar o Brasil a limpo.

Os resultados da Lava Jato demonstram que o rei está nu. E fazem com que o Brasil tenha caído sete posições em ranking de corrupção, compilado todos os anos pela transparência Internacional.

“Todos os dias, praticamente, a Lava jato traz revelações escabrosas. Tem prisão, tem delação. Mas não vejo o governo tomando medidas estruturais para evitar a continuação de subornos e propinas”, diz o sindicalista e deputado estadual pelo PSDB-SP, Antonio de Sousa Ramalho, o Ramalho da Construção.

Para ele, a administração petista de Dilma Roussef já teve tempo mais do que suficiente para descobrir os mecanismos que levam às ocasiões.

“Não podemos padecer de ingenuidade crônica. O governo conhecia esses caminhos de velho, inclusive seus atalhos. O fato de não tomar providências estruturais não interessa. Então, a sociedade brasileira fica assistindo à tomada de medidas paliativas, na base do me engana que eu gosto”, opina o parlamentar.

Ramalho da Construção continua: “É importante punir a ladroagem. Mas isso, apenas, não resolve. Sem novas leis, que contemplem o nível estrutural do problema, as máfias continuarão a brotar, tomando conta de empresas e entidades estratégicas ao desenvolvimento do Brasil, seja na Petrobras, no BNDES e em outras estatais”, conclui Ramalho da Construção.

siga-nos