Brasil sem trabalho. Brasileiro sem dinheiro!

Foto: Marcos Santos / USP Imagens
 
“Desemprego: uma tragédia olímpica” é o título de um texto que recebi do Dieese sobre a calamitosa situação do desemprego em nosso País.
Vale ressaltar, sempre, que esse é o principal legado do governo da petista Dilma Roussef.
 Por seu segundo mandato como presidenta, Dilma escamoteou números, maquiou a verdadeira situação econômica brasileira e enganou o povo que a elegeu.
 O resultado da presidenta pedaleira aí está: caos.
 Nos dias de hoje, toca o telefone e o trabalhador brasileiro logo pensa que está demitido.
 Entidade das mais conceituadas, o Dieese afirma:
 “Para os trabalhadores brasileiros, tem sido uma maratona enfrentar as condições do mercado de trabalho do país. No primeiro semestre, o desemprego cresceu e o rendimento despencou, como mostram os resultados das principais pesquisas e o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), registro administrativo do Ministério do Trabalho que acompanha a movimentação do mercado de trabalho”, ressalta.
 Segundo Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio Contínua, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de janeiro a junho de 2016, o número de desocupados no país teve acréscimo de 2,5 milhões de pessoas.
 A estimativa é que o número de pessoas sem ocupação no Brasil tenha atingido 11,6 milhões, no segundo trimestre, o que corresponde a 3,2 milhões de pessoas a mais do que no mesmo período de 2015.
 Do total de desocupados, quase metade (1,5 milhão) trabalhava antes com carteira assinada.
 Convém salientar que tais números são do primeiro semestre de 2016. A essa altura, a galopante taxa de desemprego já ultrapassa a casa dos 12 milhões.
 Outro dado mostra a queda do rendimento real médio habitualmente recebido pelo trabalhador brasileiro de -1,5% no segundo trimestre e de -1,3% no acumulado do ano.
 Diante da situação, algo famélica, o atual governo, de Michel Temer, só faz querer mexer em conquistas da classe trabalhadora.
 Ou seja, só piora. Só piora!
 
 Ramalho da Construção
Sindicalista e deputado estadual pelo PSDB-SP

siga-nos