Brasil tem alta em índice de empregos formais

 
De acordo com o CAGED -Cadastro Geral de Empregados e Desempregados –, o Brasil criou 35.612 oportunidades de emprego em fevereiro deste ano. O dado interrompe a longa retração de 22 meses consecutivos e registra o maior crescimento desde fevereiro de 2009.
 
São Paulo, em comparação com as demais cidades do País, foi quem mais contratou: 25.412 vagas. Em contraponto, o comércio foi o setor que mais fechou vagas em todo território brasileiro, 21.194 demissões. A construção civil, no entanto, também teve retração: 12.857 vagas fechadas.
 
Para o presidente do Sintracon-SP (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil de São Paulo), Ramalho da Construção, o índice é preocupante, mas o sindicato tenta, como de costume em toda a história da entidade, reverter o cenário negativo no Estado de São Paulo.
 
“Mesmo com o Brasil em crise, fechando inúmeras vagas de empregos, o sindicato continua na luta para ajudar os operários da construção civil. Através do Departamento de Recolocação Profissional, que consiste em elaborar e encaminhar currículos de sócios desempregados às empresas com vagas disponíveis, empregamos diversos pais de família”, afirma Ramalho.
 
Números
 
 Cerca de 35 mil trabalhadores voltaram ao mercado de trabalho em fevereiro deste ano. Mesmo com o saldo mensal positivo, 2017 ainda passa por tempos de crise. Ao todo, na soma do ano, o Brasil registra recuo de 5.475 postos de trabalho.

siga-nos