Centrais Sindicais organizam o ato do dia 28

As nove Centrais Sindicais se reuniram, nesta segunda-feira, 24, na sede da Força Sindical (rua Rocha Pombo, 94 -Liberdade), às 14h30, para definir as ações que acontecem na paralisação, marcada para o dia 28 de abril.
 
As paralisações, que acontecem em todo território nacional, serão realizadas para afrontar as reformas Trabalhista, da Previdência e da Terceirização, propostas pelo Governo Federal.
 
O presidente do Sintracon-SP (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil de São Paulo), Ramalho da Construção, convoca os operários do setor que representa para fortalecer a mobilização do dia 28 de abril.
 
“É importante ressaltar que a presença dos trabalhadores da construção civil é muito importante para conseguirmos lutar contra as reformas que prejudicam o nosso setor. Se conseguirmos nos mobilizar neste dia, tenho certeza que iremos alcançar o nosso objetivo final”, salienta o presidente.
 
Mobilização
 
Além da paralisação, a Força Sindical promete manifestar sua insatisfação com as reformas na grande festa organizada para os trabalhadores, no dia 1° de maio, na Praça Campo de Bagatelle, em Santana.
 
“Durante o evento do Dia do Trabalhador, haverá diversas atrações musicais, sorteios e muita festa. Contudo, o nosso principal objetivo, é fazer com que todos reflitam sobre a proposta do Governo para diminuir o rombo da Previdência. Será que essa reforma é, de fato, a melhor solução para o povo e para o nosso País?”, questiona Ramalho.

siga-nos