Construtoras não pagam trabalhadores e Sintracon-SP resiste

As empresas MND Construções e TKM Engenharia não pagaram o salário referente a junho dos operários que trabalham na obra da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo). E, desde maio, não depositam o valor do vale-refeição. Além dos problemas com dinheiro, oito funcionários têm duas ou mais férias vencidas.
 
O presidente do Sintracon-SP, Ramalho da Construção, repudia a ação dessas empresas e promete continuar lutando para que todos os trabalhadores recebam o que têm direito.
 
 “Onde já se viu trabalhador sair cedo todos os dias, deixar sua esposa e seus filhos em casa, trabalhar o dia todo, para depois não receber? Como que ele vai colocar o leite e o pão na mesa de casa? Estamos voltando para o período da escravidão? Pois bem, saibam que o sindicato só vai sossegar quando todos os trabalhadores, sem exceção, receberem os pagamentos e conseguirem tirar suas devidas férias”, afirma Ramalho.
 
Manifestação
 
O Departamento de Base -Visitação em Obras do Sintracon-SP, ao lado dos trabalhadores, protestou, na manhã da quarta-feira, 12, em frente a Sabesp (Avenida do Estado, 561 -Bom Retiro), para que a contratante pague seus funcionários, já que a MND e a TKM ignoraram o pedido. Além da manifestação, a obra está parada desde o dia 26/06/2017.
 
Detalhes
 
Aproximadamente 70 trabalhadores, que executam a obra na Sabesp, não receberam o salário referente a junho; o vale-refeição, proporcional ao mês de julho, ainda não foi depositado e o de junho, apenas 50%; e oito trabalhadores estão com duas ou mais férias vencidas. Até o fechamento desta matéria, no período da manhã, as empresas ainda não haviam pago as pendências.

siga-nos