Decisão altamente injusta do STF

Após tantos anos de trabalho, construindo o Brasil com sua dedicação e suor, os nossos veteranos são tratados com péssima qualidade de vida e salários aviltados.
Como ninguém consegue comprar o pão de cada dia com tão pouco dinheiro, o aposentado não vê outro caminho senão voltar ao batente.
Com isso, continua doando seu sangue ao sistema, sendo, obviamente, vampirizado pelo governo.
Numa decisão de clara injustiça, o Supremo Tribunal Federal decidiu, por sete votos a quatro, rejeitar a possibilidade de o trabalhador aposentado rejeitar seu atual benefício para pleitear um novo, levando em consideração os valores posteriormente pagos à Previdência Social.
Diante disso, quero parabenizar o Sindicato Nacional dos Aposentados (Sindnapi), do qual faço parte como sócio.
Com efeito, a entidade considera que além de ferir o direito à dignidade humana do aposentado, a decisão do STF é um real confisco.
E mais: promete fazer denúncia junto à Corte Interamericana de Direitos Humanos contra o veto à desaposentação.
O Sindnapi esclarece, ainda, que as ações de desaposentação que foram ajuizadas pelo Sindicato continuam em andamento e serão acompanhadas até final decisão.
“Faremos nova análise de documentação para verificar se há possibilidade de outras revisões, tais como, Revisão da Vida Inteira, Revisão do Melhor Beneficio, Revisão da RMI”, diz o presidente do Sindicato Nacional dos Aposentados, Pensionistas e Idosos da Força Sindical, Carlos Andreu Ortiz.
O governo devolverá aos aposentados que continuam trabalhando as contribuições ao INSS?
A partir de agora o aposentado que está na ativa não precisará mais contribuir?
Quanto a tais perguntas, nenhuma palavra por parte da AGU -Advocacia Geral da União, curiosamente.
Estou a favor do projeto de lei de autoria do senador Paulo Paim (RS), que permite o recálculo do benefício para quem, após a aposentadoria, continua trabalhando e contribuindo normalmente.
Dizem que o Brasil é um País sem memória. Lógico, em vez de preservá-la ele a mata de fome…
 
Ramalho da Construção
Sindicalista e deputado estadual pelo PSDB-SP

 

siga-nos