Déficit da Previdência fica por conta da sonegação do poder econômico

Brasileiro, povo de costas largas. Costas que carregam o preço da falta de governança e desfaçatez de um governo a soldo das elites, cujo objetivo é fazer gente humilde trabalhar até 12 horas por dia e jamais se aposentar.
 
Ao povo, nada. Ao poder econômico, tudo, inclusive o exercício permanente de fraudar a lei. Leio na mídia que o INSS deixou de arrecadar pelo menos R$ 30,4 bilhões em 2015. O motivo, de acordo com o Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais do Trabalho (Sinait), tem nome: sonegação.
 
Esse valor, inescrupulosamente desviado, representa pouco mais de um terço (35%) do chamado déficit da Previdência, que naquele ano foi de R$ 85 bilhões. E são relativos a contribuições previdenciárias do trabalhador retidas na hora do pagamento do salário, que variam de 8% a 11% da folha salarial.
 
A arrecadação desse tipo foi de R$ 60,2 bilhões em 2015, mas deveria ter sido de R$ 90,6 bilhões, segundo o cálculo dos auditores com base nos dados de empregos formais do Ministério do Trabalho e Emprego. Ou seja, 33% do que deveria ter sido pago como contribuição previdenciária do trabalhador em 2015 não chegaram aos cofres da Previdência.
 
Mas, tudo bem. As vistas grossas do governo contam com o sacrifício de quem efetivamente constrói a Nação. Os mesmos, aliás, que estão na fila do desemprego, sem dinheiro e vendendo almoço para pagar o jantar.
 
Aliás, o próprio PSDB (meu partido) vem votando contra os trabalhadores.
 
Por alguma conveniência, alguns de seus dirigentes mandaram abrir gaiolas e soltar tucanos.
 
Mas são tucanos de procedência duvidosa, sem bico e sem asas, que dificilmente conseguem sair de cima do muro.
 
O partido transita entre as querências dos cabeças brancas (pendurados no governo) e cabeças pretas, que querem um basta ao neoliberalismo. O que será que pretendem?
 
Está na hora de pensar no Brasil. Deixar a justiça fazer justiça. Mandar marginais para a cadeia, sem olhar cor partidária e corporativismos.
 
 
Ramalho da Construção
Sindicalista e deputado estadual pelo PSDB-SP

siga-nos