Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças no Trabalho

Esta terça-feira, 28 de abril, é o Dia Mundial em Memória das Vítimas de Acidentes e Doenças no Trabalho, e por isso o assunto ganha destaque nesta data. Aqui, no Sintracon-SP, é um assunto constante. A maior prioridade na nossa atuação é garantir a segurança dos trabalhadores da construção civil. Infelizmente, uma luta que não encontra o devido respaldo nos órgãos responsáveis pela fiscalização dos ambientes de trabalho.

A realidade é assustadora: pelo menos sete brasileiros morrem por dia desempenhando suas atividades profissionais. A incidência de acidentes é maior entre os colaboradores de fora da organização ou terceirizados. Segundo a Associação Nacional dos Magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), de cada dez casos laborais, oito são em áreas terceirizadas. Quatro em cada cinco mortes no trabalho acontecem na terceirização.

No Brasil foram registrados 717,9 mil acidentes de trabalho em 2013 e 2,7 mil mortes. Os dados constam no Anuário Estatístico da Previdência Social lançado neste ano.

E o cenário pode ser ainda pior, já que boa parte dos acidentes não é contabilizada. A Previdência Social tem controle de casos com carteira assinada, ou 50% da população economicamente ativa. Nos mercados informal e de autônomos, os números não são computados.

Homens somam 69% dos casos

Os setores com maior número de acidentes de trabalho são: comércio e reparação de veículos automotores (14% dos casos), saúde e serviços sociais (10%), construção (8,6%), transporte, armazenagem e correios (8%), e indústria de produtos alimentícios e bebidas (7,3%). Segundo informações da Previdência Social, as vítimas são do sexo masculino em 69% dos casos.

Acidentes de trabalho
2011: 720.629
2012: 713.984
2013: 717.911

Mortes em acidentes
2011: 2.938
2012: 2.768
2013: 2.792

Incapacidade permanente
2011: 16.658
2012: 17.047
2013: 14.837

siga-nos