Dilma está mais fraca que Jeca Tatu sem Biotônico Fontoura

O governo de Dilma Roussef deixa transparecer certo alívio com as manifestações ocorridas no último dia 12 de abril.
Afinal, “apenas” 700 mil pessoas foram às ruas do Brasil pedir, principalmente, o impeachment da presidenta e pontuando suas passeatas bradando: “Fora PT, fora PT!”, que, por acaso, é o partido da mandatária.
A alegria é em razão de que a população revolta, em 12 de abril, foi 50% menor do que a do histórico e recente 15 de março.
Dilma, por alguns momentos, julgou que poderia dormir tranquila. Mas não. No seu travesseiro deveria estar, brilhando no escuro, a mais recente pesquisa datafolha, com resultados a ela pouco favoráveis, ou seja: só 13% dos brasileiros aprovam seu segundo mandato.
Tirando os indecisos, Dilma, na pesquisa, é reprovada por mais de 74% da população.
Se tal percentual estivesse relacionado ao BBB, ela estaria fora da Casa Brasileira. Ou não?
A verdade é que, para o governo, as pesquisas valem mais do que povo nas ruas.
E mais: pelo datafolha, a presidenta enfrenta problemas de rejeição em todas as classes sociais. E 70% temem pelo desemprego.
Dilma está mais fraca do que Jeca Tatu sem Biotônico Fontoura. Politicamente, não comanda mais a Nação. Passou a coordenação política para seu vice, Michel Temer, que é do PMDB. E enfrenta chumbo grosso no Congresso, com Eduardo Cunha, também peemedebista, comandando a Casa e no Senado, onde outro peemedebista, Renan Calheiros, dá as cartas.
A economia vai mal. O fantasma da inflação voltou. A terceirização, que joga os direitos dos trabalhadores nas mãos dos patrões, foi aprovada em Brasília. A corrupção tende a se alastrar da Petrobras a outros órgãos de administração pública. Mais escândalos no mar, sob a forma de tsunamis…
Dilma se esconde. Não quer aparecer por medo de apitaços e panelaços…
Aliviada, Roussef não está não. Sente-se é cada vez mais pressionada…

Ramalho da Construção
Sindicalista e deputado estadual pelo PSDB-SP

siga-nos