Dinheiro do trabalhador continua indo para o ralo:

FI-FGTS reconhece perda de R$ 1 bilhão com investimento na Sete Brasil

O FI-FGTS (Fundo de Investimento que usa recursos do FGTS para investir em infraestrutura), deve registrar em 2015 a menor rentabilidade da história.

O jornal O Estado de S. Paulo apurou que uma das principais razões para um resultado tão ruim deve ser a Sete Brasil.

O FI-FGTS deve dar baixa em uma perda de cerca de R$ 1 bilhão pelos prejuízos com a empresa criada para construir e administrar as sondas do pré-sal.

“Trata-se de mais um atento ao erário. Primeiro, precisamos lembrar que o FGTS é do trabalhador. É dinheiro do povo brasileiro. Segundo, que o objetivo é investir em infraestrutura, saúde, esgoto, estradas. Curiosamente, desde que foi criado, esse fundo tem concentrado boa parte dos recursos desembolsados em poucas -e certas – empresas”, afirma o sindicalista e deputado estadual pelo PSDB-SP, Ramalho da Construção.
Além da Sete Brasil, o fundo tem R$ 2,3 bilhões em ações da Odebrecht TransPort, e outro R$ 1,1 bilhão na Odebrecht Ambiental, empresas de capital fechado do grupo Odebrecht. A empresa decidiu optar por aderir a acordos de delação premiada e leniência. Também tem R$ 88 milhões na OAS Óleo e Gás.
“Isso representa mais de um terço do total do patrimônio líquido aplicado”, avalia Ramalho da Construção. E continua:
“Com sua irresponsabilidade, o governo Dilma jamais pensou em soluções de rentabilidade para a conta do trabalhador, mas sim em financiar grandes projetos escolhidos de forma política e corporativa”, opina.
Para Ramalho, o desastroso governo da petista Dilma Roussef envolve o dinheiro do trabalhador em suas mutretas.
“Dilma está acabando com tudo. Deveria tomar conta do câncer. Quem sabe não exterminaria, também, com a grave enfermidade”, conclui Ramalho da Construção.

 

 

siga-nos