Empresas não cumprem acordo e atrasam pagamentos

Apesar da intervenção do Sintracon-SP – Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil de São Paulo, o início de ano está sendo marcado pelo descaso de algumas empresas. Boyko’s Impercolor Ltda e a Construtora Algibi Eireli ainda não pagaram os salários referentes ao mês de janeiro. Reunião que seria realizada na tarde desta segunda-feira, 20, foi transferida para esta terça-feira, 21.
 
O presidente do Sintracon-SP Antonio de Sousa Ramalho, o Ramalho da Construção, repudia esse tipo de atitude que prejudica o operário. “Mesmo depois da mobilização que realizamos em frente ao prédio dos Ambulatórios, no Hospital das Clínicas, a Boyko’s não pagou a segunda parcela do acordo e ainda insiste em não pagar o salário referente ao mês de janeiro. A Algibi, por sua vez, além de atrasar o pagamento do mês passado, não pagou as férias dos trabalhadores, salienta Ramalho.
 
Para a gerente do departamento do Sintracon-SP, Ana Paula Tavares, a situação é crítica. Desde o início, segundo ela, os assessores da Base, entraram em contato com as empresas para resolver as pendências.
 
“Sobre a Boyko’s, mesmo após todo desgaste causado pela empresa e, inclusive, com toda a compreensão dos trabalhadores em aceitar parcelamento, não houve cumprimento do acordo. Em relação a Algibi, a reunião que seria hoje (20) ficou para amanhã (21), para conversar sobre o parcelamento das verbas rescisórias”, relata Ana.
 
Negociações
 
 
A Algibi pretende dividir o pagamento das verbas rescisórias em, no mínimo, 10 parcelas. O sindicato, no entanto, quer diminuir o número das parcelas para que o valor mensal a ser recebido pelos trabalhadores seja maior.
ALIBIBI 03
 
No dia 24 de janeiro, o Sintracon-SP fez mobilização na porta do Hospital das Clínicas 

siga-nos