Falta de credibilidade do governo petista faz o dólar subir e a inflação disparar

O dólar vem subindo constantemente. E isso só é bom especialmente para os especuladores, que nada constroem e, como chupins de sangue alheio, lucram na ciranda financeira.
Mas qual o motivo da disparada da moeda americana? A meu ver, ela está diretamente ligada à falta de governança de Dilma Rousseff.
Executivo que se preza, não pode fazer promessas difíceis -ou impossíveis de serem cumpridas. E foi exatamente isso que a administração petista fez durante a campanha eleitoral, apresentando seu mar de maravilhas para a sociedade brasileira.
As promessas não foram feitas com base na realidade. E isso caracteriza estelionato eleitoral.
Em letra fria, o dólar avançou 0,51 por cento, a 3,3640 reais na venda, maior nível de fechamento desde 27 de março de 2003, quando foi a 3,386 reais na venda. Desde o último 22 de julho, acumula alta de 6,01 por cento.
A atividade industrial sofre com a crise. A inflação está alta, parecendo fugir do controle. Mudanças nas metas fiscais sem diálogo prévio com a sociedade, são três fatores que explicam o motivo pelo qual a nossa moeda vai perdendo valor de compra a olhos vistos, com o Brasil perdendo seu grau de investimento.
Mas a razão fundamental é, sem dúvida, a perda de credibilidade de Dilma Rousseff, pois nunca antes o titular de uma Presidência foi tão mal avaliado pelo povo como agora.
Relata a mídia que o tombo de mais de 8 por cento da bolsa chinesa, o maior desde 2007, trouxe de volta aos holofotes a desaceleração da segunda maior economia do mundo, importante parceiro comercial do Brasil.
O fortalecimento da moeda norte-americana encarece produtos importados e, assim, pressiona a inflação.
Sempre afirmei que meu maior receio não era para com nomes ou partidos e sim com a volta do dragão inflacionário.
As chamas nas ventas de tal dragão consomem a empregabilidade e o poder de compra da família brasileira.
Os sucessivos aumentos do dólar justificam que a nossa economia vai de mal a pior.
Nessa marcha, se 2015 vem sendo um ano ruim, 2016 será insustentável.
Dilma não tem transparência de atos, não dialoga com as centrais trabalhistas, e, acima de tudo, perde espaço e se enfraquece, moral e politicamente, porque mentiu, ludibriou o povo, algo que costuma ser fatal a qualquer administração.
Não adianta jogar para a torcida e transferir a desagradável questão para outro campo.
O tombo de 8,48% na principal bolsa asiática só agrava o teor de nossos pesadelos.
Mas o problema do Brasil é o Brasil.
Não precisa ser nenhum sensitivo ou cultor de profecias para saber que o Banco Central, diante do cenário, vai elevar a taxa Selic para acima de 14% ao ano.
A medida, além de revelar total falta de criatividade e coragem, aumentará ainda mais a recessão.
O diabo é que, para o mercado, o BC precisa agir mais fortemente do que o necessário. O motivo? Enfrenta falta de credibilidade.
E assim vamos, ladeira abaixo.

Ramalho da Construção
Sindicalista e deputado estadual pelo PSDB-SP

 

siga-nos