Feliz pelo atletismo paulista e brasileiro.

Poucas vezes fiquei tão emocionado na vida. A medalha de ouro do brasileiro Thiago Braz, no atletismo, na prova de salto com vara, foi de testar cardíaco. O garoto não se abalou. Num ato de superação ultrapassou a marca dos seis metros, quebrando o recorde olímpico.
Em artigos anteriores, disse que minha modalidade favorita, após o futebol (sou corintiano de pagar promessas) era o atletismo.
Explico: o atletismo é mãe de todos os esportes, pois lida com noções básicas do ser humano, como andar, correr, saltar, arremessar e lançar. Sua prática, agrega saúde, cultura, lazer e inserção social, além de ser arma contra a escalada das drogas e da criminalidade entre os nossos jovens.
Tenho, na figura do presidente da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), José Antonio Martins Fernandes, o Toninho, um amigo.
Através dele, sei da luta que é conquistar uma medalha de ouro. Também presidente do Sindicato dos Profissionais de Educação Física de São Paulo e região (Sinpefesp), o Toninho Fernandes sempre foi um lutador. Assim como eu, ele acredita no esporte enquanto condição de cidadania. E que o eixo de sua evolução está nas escolas.
Outro amigo fraterno é Mauro Chekin, presidente da Federação Paulista de Atletismo, entidade que, como poucas, ajuda o governo bandeirante a disseminar e massificar o esporte em nosso estado, através de Jogos Escolares e, também, do Centro de Excelência Esportiva.
São pessoas sérias, devidamente comprometidas com a boa gestão do esporte, não só no alto nível como na base, entre crianças e adolescentes.
Quero, portanto, parabenizar Thiago Braz e o atletismo paulista e brasileiro pelo muito que tem feito em prol da melhoria de qualidade de vida do nosso povo.
Brasileiros como eu agradecem o empenho da família do atletismo do Brasil. Estou aqui torcendo por mais conquistas.
 
Ramalho da Construção
Sindicalista e deputado estadual pelo PSDB-SP
 

siga-nos