Fique atento às lista de documentos exigidos no dia da perícia médica

Os segurados que marcam a perícia médica no INSS para conseguir auxílio-doença ou aposentadoria por nvalidez devem levar os documentos corretos para não perder tempo no já complicado atendimento dos postos da Previdência.

Segundo Jane Berwanger, presidente do IBDP (Instituto Brasileiro de Direito Previdenciário), é necessário apresentar documentos pessoais e Carteira de Trabalho para o perito checar a profissão do beneficiário que será examinado. Também devem estar na lista atestados médicos e exames comprovando a enfermidade.

Além disso, é indispensável a declaração do último dia de trabalho, para aqueles que têm careira assinada, e um documento chamado CAT (Comunicação de Acidente de Trabalho), usado em casos de incidentes ou doença ocupacional.

A dica é o segurado levar documentos atualizados e com o máximo de detalhes possível. No atestado ou relatório médico ,por exemplo, devem cnstar informações como a classificação da doença, a data do primeiro atendimento, o tratamento indicado, como ela está se desenvolvendo e o período sugerido de afastamento.

Caso o perito verifique a falta de papéis, ele pode pedir mais informações e até entregar um formulário que deverá ser preenchido pelo médico do segurado. Será determinado um razo para devolução da documentação complementar.

Se o pedido for negado na agência, é possível recorrer ao próprio INSS, solicitando uma reconsideração da decisão. A outra opção é buscar a Justiça.

De acordo com o último boletim estatístico da Previdência, em fevereiroeram pagos 1,5 milhão de auxílios-doença no valor médio de R$ 1.229,46. Outros 3,2 milhões recebiam, em média, R$ 1147,34 nos benefícios por invalidez.

PARALISAÇÃO/A greve dos médicos peritos,que ocorreu de setembro até janeiro deste ano, dificultou ainda mais o serviçonas agências. Segundo o INSS em São paulo, o tempo médio entre o agendamento e a realização da perícia estava em 36 dias no estado, no mês passado. Em janeiro, no país, o período de espera era de 80 dias.

Apesar disso, há quem consiga ser atendido antes. O INSS informou que alguns postos seguem fazendo reposição aos finais de semana, de acordo com sua disponibilidade, como o número de servidores e o volume de serviços pendentes.

 

Fonte: Jornal Diario de São Paulo

siga-nos