Graças a atuação do sindicato, trabalhadores de construtora recebem pagamento de dias parados da greve

PUBLICADO EM 04/07/2019

Na última quarta-feira (03), a diretoria e assessoria do Sintracon-SP realizaram uma reunião com os representantes da construtora Marques. E, após as negociações, o sindicato conseguiu o abono do terceiro dia de paralisação dos funcionários da empresa referente a greve geral da categoria, que aconteceu em maio deste ano.

Em diversos canteiros de sua base territorial, o sindicato realizou paralisações de quatro dias. Contudo, nas obras da construtora Marques foram necessários apenas três dias.

De acordo com o presidente do Sintracon-SP, Ramalho da Construção, o desembargador do Tribunal Regional do Trabalho, da 2° Região, recomendou, durante as negociações da convenção coletiva, que dois dias da greve fossem abonados pelos patrões e os outros dois fossem negociados individualmente entre sindicato e empresa – sugestão dada para todas obras da base territorial da entidade.

“Definimos, junto com o TRT e com o aval dos trabalhadores, que negociaríamos os outros dois dias parados diretamente com cada empresa. E, conforme prometido, estamos fazendo exatamente isso. Embora tenha passado um pouco mais de um mês das nossas paralisações, os nossos resultados estão sendo bem positivos para os trabalhadores. A construtora Marques não foi a primeira empresa a aceitar nossa reivindicação. E, como paramos apenas três dias as obras dela, todos os dias foram abonados com sucesso”, comenta Ramalho.

O sindicato projeta realizar paralisações em obras de construtoras que não aceitarem o abono dos demais dias da greve geral.

Detalhes

O acordo entre a construtora e o sindicato garantiu que nenhum trabalhador sofrerá com descontos na folha salarial devido a greve geral realizada neste ano. A ata, que foi assinada pela Marques e pelo Sintracon-SP, garante, inclusive, o abono para funcionários das empreiteiras que exercem atividades para esta majoritária.

siga-nos