Haddad usa dinheiro de indústria de multas para construir ciclovias

O prefeito Haddad, segundo pesquisa idônea, tem mais de 70% de rejeição da população que mora e vota na capital bandeirante.
Se perguntarem qual sua marca de governo, qualquer um dirá que são as ciclovias.
Sou da Construção Civil. Trabalhei em mais de 700 canteiros de obras. Sei um pouco do ofício. E, com tais qualidades, já critiquei a edificação das “faixas de bike”, modernamente falando, à exaustão.
Não há qualquer planejamento. Tem ciclovia que termina em poste, muro, encobrindo buracos e até calçadas portuguesas, verdadeiras obras primas, sem qualquer prurido. Manda tinta, o resto, não importa.
Não sou, portanto, contra ciclovias enquanto mobilidade urbana. Sou, sim, contra a maneira como Haddad agride o ambiente de uma das maiores cidades do mundo.
Outra marca de governo do petista Haddad é a indústria de multas. Quer dinheiro para, como adolescente, brincar de paintball, lançando, à esmo, tintas vermelhas sobre as ruas paulistanas. Que diabrete esse nosso prefeito…
Estou forçando a barra? Infelizmente não. Leio o Estadão e me deparo com a notícia de que o Ministério Público Estadual acusa a gestão de Haddad de usar dinheiro da arrecadação de multas para a construção de ciclovias.
Ao menos R$ 25 milhões teriam sido destinados a vias segregadas para bicicletas. E o pior: A Prefeitura acredita que tal aplicação é permitida…
Quando, na novela “Os Dez Mandamentos”, abriu-se o Mar Vermelho, juro que ao lado da trilha imaginei uma ciclovia vermelha de Haddad.
É o fim do mundo…

Ramalho da Construção
Sindicalista e deputado estadual pelo PSDB-SP

siga-nos