Não sabe dirigir, mas pode dar umas voltinhas…

Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino

Imagine uma pessoa que tem a sua carteira de habilitação cassada. Qualquer um dirá: se isso aconteceu é porque não tem condição de ser motorista. Se a pessoa em questão sair nas ruas com seu carro, a sociedade pode ser sacrificada por sua incompetência, com trombadas, atropelamentos e até mortes.

Pois bem. A senhora Dilma Rousseff, por 61 votos a 20, foi definitivamente afastada de seu cargo de presidenta. Mas, casuísmo dos casuísmos, em uma segunda votação, não teve seus direitos políticos suspensos por oito anos, como manda a Constituição brasileira.
Ou seja. Não sabe dirigir. É barbeira fundamental. Pode matar. Pode roubar vida inocente. Mas, vez ou outra, a direção de um ou outro cago público pode lhe ser dada.
Aí está o famoso jeitinho brasileiro. E ele foi utilizado de forma ostensiva para alimentar a gula pelo poder do PT, que não admite em momento algum largar o osso.
Sim, digo o osso. Pois a carne, o partido de Dilma comeu a fartar, caso do petróleo, do mensalão, da Petrobras e de outras tantas empresas de iniciativa pública federal.
O fato de Dilma não saber dirigir nem reunião de condomínio fica expresso por nada menos de 12 milhões de desempregados no País. Também por uma dívida pública inaceitável. Nunca se roubou tanto. Nunca antes houve tamanha sucessão de escândalos ligados ao projeto de poder petista.
O povo sabe disso. Saiu às ruas. Exigiu punição. Exigiu a cassação da carteira de motorista da presidenta. Sua vontade foi feita. Em parte, infelizmente.
Trata-se de uma vergonha que pode abrir perigosos precedentes ao futuro de uma Nação.
 
Ramalho da Construção
Sindicalista e deputado estadual pelo PSDB-SP

 

siga-nos