Nas urnas, povo brasileiro impõe derrota fragorosa ao PT

Se ilude quem despreza a sabedoria popular. O povo tudo sabe, tudo vê e, democraticamente, demonstra suas satisfações e insatisfações nas urnas.
Exceto pelo voto dos que se dizem ideológicos de plantão (cegos, xiitas e xaatos, aliás), o PT sofreu uma fragorosa derrota nas últimas eleições, para prefeitos e vereadores.
Saiu do pleito com 350 prefeituras a menos do que tinha no cenário nacional.
Nem no Nordeste, onde seus articuladores esperavam retorno positivo da sociedade, o partido de Lula e Dilma vingou.
Com isso, seus filiados provarão do remédio devidamente institucionalizado por uma gestão coalhada de denúncias de corrupção e mentiras: a fila do desemprego.
A coluna Painel, da Folha de S. Paulo, informa: 50 mil petistas que ocupam cargos comissionados nas máquinas administradas pelo partido perderão sua boquinha em 2017.
A doação de dinheiro para os cofres da vermelha estrela solitária diminuirá com a perda de postos, assim como as possibilidades de manobras espúrias do Pededuto.
Nas ruas, ensaiaram um Fora Temer. Nas urnas, deu um sonoro Fora PT, demonstram os números, frios como o baque surdo da tampa da tumba.
A única estratégia do Partido dos Trabalhadores, agora, é a de juntar cacos da louça quebrada pela insaciável gula por poder a qualquer custo.
A situação piora muito com os recentes indiciamentos de Lula na Justiça e a desaprovação das contas da ex-presidente Dilma Rousseff pelo Tribunal de Constas da União, o TCU.
O PT está à beira do abismo. E a inconsequência e petulância do partido deverá optar por dar um passo adiante…
 
 
Ramalho da Construção
 Sindicalista e deputado estadual pelo PSDB-SP
 
 

siga-nos