O Brasil não cresce. Mas a arrecadação de impostos…

 

Os cálculos consideram impostos, taxas e contribuições da sociedade para o poder público.

Leio nos jornais, assim que chego ao trabalho, que tal montante, um tanto quanto robusto, foi atingido um dia antes quando comparado ao mesmo período de 2013.

Ou seja, a carga tributária em nosso País vai quebrando recorde atrás de recorde.

O que se depreende disso tudo é que estamos arrecadando mais e crescendo menos, pois, como é sabido, grande parte dos impostos recolhidos são utilizados, vergonhosamente, para cobrir gastos e custeios da máquina pública.

Essa minha dedução é compartilhada pelo presidente da ACSP, Rogério Amato, para quem sobra muito pouco dinheiro para se investir em segurança e saúde (setor que, segundo pesquisa, é a maior preocupação do povo brasileiro, por estar sucateado).

Do couro da população, portanto, é que se faz a correia daqueles que, em Brasília, querem se perpetuar no poder.

Antonio de Sousa Ramalho

 

siga-nos