Reajuste do salário mínimo fica abaixo da inflação

O que rege a economia é a lei da oferta e da procura. Se não há procura de determinado produto pelo consumidor, ou o preço despenca ou fica na prateleira, simples assim.
Ora, nos últimos anos, com desemprego e salários baixíssimos, o brasileiro latiu no quintal para economizar cachorro. Isto explica, em boa parte, a inflação abaixo do piso (2,07%), que o governo federal tanto comemorou.
Mas até na “vitória”, os burocratas de Brasília não deixam de prejudicar o trabalhador. Sim, pois o reajuste do salário mínimo ficou em 1,81%, ou seja, abaixo do INPC.
Caso fosse corrigido pela inflação observada, o salário mínimo teria subido de R$ 937 para R$ 956, em vez dos R$ 954 válidos atualmente. Com a diferença, o governo prevê economizar R$ 3,4 bilhões.
Vale ressaltar que esta é a menor correção aplicada ao mínimo desde 1995, primeiro ano após a criação do Plano Real.
Segue a política neoliberal. Golpe a golpe. Para o desespero de 22 milhões de aposentados.

 

 

Diretoria do Sinpefesp

siga-nos