Redução da maioridade penal passa em comissão

84% da população brasileira é a favor da redução da maioridade penal.
Estamos numa democracia, todavia, a voz da população não é ouvida pelo governo.
A constatação que faço é simples. O povão vive nas ruas, em meio à violência e à insegurança, e não entre luxuosas paredes palacianas.
Cada brasileiro comum já olhou nos olhos de um bandido de 15 ou 16 anos e percebeu: “Para ele, minha vida não vale absolutamente nada.
Além do mais, como se sabe, esses menores são fantoches do crime organizado. Por não terem 18 anos, respondem por crimes bárbaros, que abrangem assassinato e tráfico de drogas.
Diz a “escolinha vermelha de fazer marginais” que só a educação pode resolver o problema. No entanto, a administração de Dilma Roussef corta dinheiro do setor sem dó nem piedade.

No último dia 17 de junho, entretanto, uma boa notícia: a Câmara dos Deputados aprovou, em Brasília, um projeto que reduz a idade penal de 18 para 16 anos.
A proposta tem o apoio da maioria dos partidos, exceto, como já mencionei, os que representam a nociva escolinha vermelha.
O texto aprovado tem por objetivo alterar a Constituição para, assim, punir exemplarmente os menores que cometerem os seguintes crimes hediondos (normais para eles): estupro, latrocínio, falsificação de medicamentos, prostituição de crianças, tráfico de drogas, tortura, terrorismo, homicídio doloso, roubo qualificado, lesão corporal grave e lesão corporal seguida de morte.
Com a aprovação na comissão, o texto segue agora para votação no plenário da Câmara, provavelmente no dia 30. Para ser aprovado, é preciso o apoio de 60% dos deputados (308 de 513).
Muita água ainda vai rolar por debaixo da ponte. O que se espera é que a vontade do povo seja respeitada. Sim, pois como diz o ditado, a voz do povo é a voz de Deus.

Ramalho da Construção
Sindicalista e deputado estadual (PSDB-SP)

siga-nos