Reforma da Previdência tira direitos e joga os mais velhos na miséria

Não tenho dúvidas. O objetivo principal do governo atual com a reforma da Previdência, é, sim, o desmantelamento da proteção social dos trabalhadores.

O projeto corta avanços duramente conquistados pelos brasileiros. E vai jogar a velhice na miséria.

Destaco aqui alguns pontos de maldade plena:

. Não podemos aceitar que nossa gente tenha de trabalhar e contribuir por 40 anos para ter acesso à aposentadoria integral;

 

. Que professores e professoras tenham de trabalhar até os 60 anos;

. Que os Benefícios de Prestação Continuada (BPC) sejam reduzidos a R$ 400,00 até os 65 anos de idade;

. Que homens e mulheres do campo tenham acesso dificultado e se aposentem com a mesma idade.

. A redução das pensões por morte é cruel. Atinge, principalmente, as famílias pobres.

Enquanto isto, grandes empresas, bancos e milionários acumulam dívidas de quase R$ 400 bilhões que não são cobradas, e o governo deixa de arrecadar quase R$ 300 bilhões em desonerações.

Em minha opinião e, também, das centrais sindicais, a verdadeira intenção desta reforma é acabar com o atual Sistema Previdenciário e de Seguridade Social para entregar aos banqueiros.

Isso será feito por meio de um sistema de capitalização privado, sem contribuição dos empregadores e do Estado, que vão administrar a poupança dos trabalhadores e trabalhadoras e lucrar bilhões com a especulação no mercado financeiro.

Já os trabalhadores terão os valores de suas aposentadorias reduzidos e o seu acesso cada vez mais dificultado.

Que ninguém duvide: o regime de capitalização vai jogar milhões na miséria.

A luta do movimento sindical, da qual faço parte, é por uma Previdência Social Pública, universal e solidária, com um piso não inferior a um salário mínimo, que amplie a proteção social e os direitos.

Ramalho da Construção

Presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil de São Paulo

siga-nos