São Paulo já acumula inflação acima de 10%

A perda de controle sobre a inflação e o consequente estado de desemprego acelerado no Brasil sempre foram as minhas maiores preocupações diante do desgoverno petista de Dilma Roussef.
E meus piores temores foram confirmados, infelizmente, pois, em outubro, São Paulo já acumula um percentual inflacionário acima de 10 pontos (10,18%).
Os dados são do IBGE -Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, absolutamente idôneo, registre-se.
Além de São Paulo, outras três regiões também ultrapassaram a barreira dos dois dígitos. São elas: Goiânia (10,84%), Porto Alegre (10,48) e Rio de Janeiro (10,12%).
Na média do País, a alta do IPCA-15 em 12 meses está em 9,77%, a maior desde dezembro de 2003.
Quanto à taxa de desemprego é a maior desde 2009 nas seis principais regiões metropolitanas do País. Ficou em 7,6% em agosto de 2015, segundo a PME -Pesquisa Mensal de Emprego, tendo crescido 5% em relação ao mesmo mês de 2014, sendo o maior índice desde março de 2010.
A população desocupada ficou em 1,9 milhão de pessoas, o mesmo contingente de julho deste ano: esse total é 52,1% superior aos dados de agosto de 2014.
Em termos absolutos, há 636 mil pessoas a mais procurando emprego em agosto deste ano do que no mesmo período do ano passado.
Antes se falava que a realização de cursos de especialização seria a saída contra o desemprego. Mas não. A tragédia já se voltou aos trabalhadores mais preparados, que vão, paulatinamente, perdendo os seus postos.
Não há luz no fim do túnel, uma vez que Dilma já não governa mais e o País está acéfalo, ou melhor, nas mãos de personalidades e partidos coligados à administração da presidenta.
O que esperar do Brasil em 2016, só Deus sabe…

Ramalho da Construção
Sindicalista e deputado estadual pelo PSDB-SP

siga-nos