Sintracon-SP apoia mobilização contra a PEC 287

A quarta-feira, 15, será configurada por mobilizações em defesa aos direitos dos trabalhadores na capital paulistana. Até a manhã desta terça-feira (14), 21 categorias confirmaram a adesão ao Dia Nacional de Paralisações. O intuito é afrontar a Proposta de Emenda Constitucional (PEC 287) que defende a Reforma da Previdência reivindicada pelo Governo Federal.
 
Para o presidente do Sintracon-SP (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil de São Paulo), Antonio de Sousa Ramalho, o Ramalho da Construção, os operários da construção civil serão diretamente prejudicados, caso a Reforma da Previdência seja aprovada pelo Congresso Nacional.
 
“A medida obriga o trabalhador ter a idade mínima de 65 anos e, ao menos, 25 de contribuição para conseguir sua aposentadoria. O Sintracon-SP, de fato, não vê essa medida como vantajosa para a classe trabalhadora. Claramente, o contribuinte será prejudicado, principalmente na construção civil, onde os trabalhadores fazem bastante força e lidam com riscos diários”, salienta Ramalho.
 
O coordenador-geral do Sindicato dos Trabalhadores Químicos, Plásticos, Farmacêuticos e Similares de São Paulo e Região, Osvaldo Bezerra, acredita que a medida é o fim da seguridade social.
 
“O desmonte da previdência social proposto pelo governo Temer e enviado à Câmara Federal pode ser considerado como o maior ataque à classe trabalhadora, e aos seus direitos, e representa o fim do sistema de seguridade social brasileiro, conquistado na Constituição de 1988 e reconhecido internacionalmente”, afirma Bezerra.
 
A presidente do Sindicato das Costureiras de São Paulo e Osasco, Eunice Cabral, vê a medida como prejudicial aos direitos já conquistados pelas mulheres no ambiente profissional.
 
“A mulher, que tem dupla jornada, às vezes até tripla quando se envolve em atividades políticas, sindicais e sociais, é prejudicada, diretamente, por essa medida. Além de sermos penalizadas por ganharmos menos, demoraremos, ainda mais, para nos aposentar”, declara Eunice.
 
Mobilização Geral
 
De acordo com o portal da Força Sindical (http://migre.me/weNiN), vários sindicatos participarão do protesto desta quarta-feira, 15, às 16h, na Avenida Paulista, contra as reformas da Previdência Social. 

siga-nos