Sintracon-SP organiza manifestação contra as reformas do Governo

O Sintracon-SP (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil de São Paulo), organizou, na manhã desta sexta-feira, 30, uma manifestação em frente a DRT (Delegacia Regional do Trabalho), contra as reformas trabalhista e previdenciária.
 
O presidente do Sintracon-SP, Ramalho da Construção, elogiou os operários que ajudaram a fortalecer a luta pelos direitos da classe trabalhadora, manifestando suas insatisfações nas ruas da capital.
 
“Quero agradecer a todos os trabalhadores e trabalhadoras que acordaram na madrugada para chegar cedo no sindicato e depois caminhar até a DRT. Todos, sem exceção, estão de parabéns. Vamos continuar juntos, trabalhadores. Assim, iremos resistir as propostas que nos prejudicam e manteremos os nossos direitos que foram duramente conquistados”, afirmou Ramalho.
 
Bilhete
 
Geraldo Leite dos Santos, de 72 anos, está desempregado e faz “bicos” como servente de pedreiro e pintor. Dessa forma, consegue pagar seus remédios e sustentar sua filha de oito anos. Insatisfeito, o trabalhador escreveu um bilhete demonstrando sua revolta. No recado, ele diz: “Não pode mexer nas leis trabalhista e previdenciária. Tem que acabar com a corrupção em Brasília”.
 
Normalmente, Geraldo consegue fazer no máximo dois serviços por mês e nem sempre o que ele ganha é o suficiente para arcar com os custos mensais. “Tenho que pagar pensão para minha filha e fazer o impossível para viver com o restante. Gasto quase todo o resto com remédios. Tudo que eu queria, neste momento, é arrumar emprego com carteira assinada. Mas, infelizmente, ninguém me contrata por conta da minha idade”, afirma o operário.
 
Trajeto
 
A mobilização começou no cruzamento da Rua Maria Antônia com a Avenida Consolação, às 9 horas. Posteriormente, os trabalhadores caminharam pela Consolação, em direção à DRT. Depois da chegada, manifestaram-se até às 13 horas.

siga-nos