Sintracon-SP presta contas aos operários da construção civil

O Sintracon-SP (Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil de São Paulo) convocou, nesta quarta-feira, 1º de novembro, cerca de 300 trabalhadores da construção civil para participarem da cerimônia de prestação de contas da entidade. O intuito, na realidade, foi apresentar os gastos e a receita do sindicato durante seus exercícios em 2016.
 
Já olhando para o futuro, o presidente do Sintracon-SP, Ramalho da Construção, acredita que os gastos e a receita de 2018 serão ainda menores do que as apresentadas nesta quarta-feira, por conta da aprovação da reforma trabalhista, que entra em vigor no dia 11 de novembro.
 
“A reforma trabalhista veio para nos enfraquecer, ela tem o poder de tirar uma das principais receitas dos sindicatos. Por isso, a probabilidade de a receita da nossa entidade diminuir é grande. Contudo, esperamos que alguns pontos da reforma sejam mudados e este cenário também”, comentou Ramalho, durante a cerimônia.
 
Resistência à reforma
 
No encerramento da cerimônia, o presidente salientou que, mesmo há menos de 10 dias para a reforma entrar em vigor, ele continua trabalhando para barrar alguns pontos que, de acordo com a classe operária, são equivocados.
 
“Estamos lutando incansavelmente para mudar alguns pontos da reforma. Eu, ao lado da Centrais Sindicais, me reuni com o presidente da República e reivindiquei melhoras, e com urgência. Ele, portanto, nos prometeu que irá melhorar alguns pontos, mas ainda não vimos essa promessa. Esperamos que ele cumpra com o que foi prometido”, finalizou Ramalho.

siga-nos