Trabalhadores cobram mais empregos e direitos

A mudança da política econômica foi cobrada pelos sindicalistas no palco do 1º de Maio da Força Sindical, em São Paulo, que contou com a participação de 500 mil pessoas. O ato da Central não foi apenas de reflexão. Teve também momentos de lazer. Veja matéria abaixo.
“A crise atinge praticamente todos os setores em todas as regiões do País. O Brasil fechou o 1º trimestre deste ano com 11 milhões de desempregados, conforme a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad), do IBGE”, destaca Paulo Pereira da Silva, presidente da Força Sindical e deputado federal pelo Solidariedade-SP.

26008-1-de-maio-paulinho
João Carlos Gonçalves, Juruna, secretário-geral da Central, ressalta que o “sacrifício dos trabalhadores é brutal. Em muitos casos, os trabalhadores deixam de pagar suas contas, aumentando as estatísticas sobre a inadimplência”, disse.
As comemorações do Dia Internacional do Trabalho da Força Sindical, que aconteceram em mais de duzentas cidades de todo o Brasil, e tiveram por lema “Gerar empregos e garantir direitos”, foram uma verdadeira lição de cidadania oferecida pelos trabalhadores, cansados de tanto descaso por parte do governo, e dos desmandos econômicos, políticos e morais a que vimos, até agora, sendo submetidos, com queda na produção e no consumo, desemprego recorde, insolvência das empresas, inflação e alta de juros altos.
Em São Paulo, compareceram dirigentes sindicais, da Força e de outras Centrais Sindicais, além dos parlamentares Major Olimpo e Augusto Coutinho (Solidariedade SP e PE, respectivamente), Bruno Araújo (PSDB-PE), André Moura (PSC-SE), Rubem Bueno (PPS-PR), Mendonça Filho (DEM-PE), Antonio Imbassay (PSDB-BA), a Senadora Marta Suplicy (PMDB-SP) e o deputado estadual Antonio de Sousa Ramalho (PSDB-SP).

Fonte: Jornal Diário de São Paulo

siga-nos