Veterinário é impedido por Conselho de atender animais gratuitamente

Quem não gosta de animais, para mim, bom sujeito não é.

Sempre tive -e tenho, aliás, cães e gatos. E nunca duvidei da fidelidade deles, ao passo que, de alguns seres humanos, melhor calar…

Pois bem. Fico sabendo através da mídia que o médico veterinário Ricardo Fehr Camargo foi impedido pelo Conselho Regional de Medicina Veterinária de São Paulo (CRMV-SP) de atender gratuitamente a animais de pessoas de baixa renda.

Abro um parêntese para ressaltar que certos pets shops estão cobrando os olhos da cara, inventando problemas, solicitando exames a esmo e transformando tão nobre atividade em mero negócio. Mas sobre isso falarei em outra ocasião…

Voltando ao caso Ricardo Fehr, não dá para entender como uma pessoa de boa índole, que cuida de animais domésticos de pobres de forma gratuita, possa estar sendo ameaçado pelo CRMV-SP.

Ao contrário. Se todos os veterinários seguissem o exemplo e tirassem um período para tal fim, estaríamos diante de um exemplo de desprendimento.

Mais de seis milhões de pessoas já assistiram ao vídeo do veterinário. Nele, é mostrado o momento exato em que foi proibido de executar o serviço. Ricardo Fehr pode sofrer processo ético. A justificativa dada pelo Conselho é de que o trabalho voltado a pessoas carentes não era de utilidade pública.

Julgo o caso muito estranho. Como deputado estadual pelo PSDB-SP, creio que a Assembleia Legislativa deva chamar uma CPI a respeito do caso. Ora… ajudar os menos aquinhoados virou crime?

Acredito até que perseguir alguém como Ricardo Fehr é inconstitucional.

É o caso de o povo sair às ruas em defesa do veterinário.

Ramalho da Construção

Sindicalista e deputado estadual pelo PSDB-SP

siga-nos