Vitoriosa das urnas, Social Democracia agora precisa se consolidar, ouvindo as bases

Foto: Divulgação
Após tantos escândalos, tantas mutretas que o PT andou fazendo, sendo pego no pulo pela Justiça, que pode tardar, mas não falha, o povo deu seu recado, claro, nas urnas.
O partido da ex-presidenta Dilma Rousseff naufragou, dele restando muito pouco ou quase nada.
Com isso, a eleição de 2016 transformou o PSDB na instituição política com a maior população governada no país neste século.
A Social Democracia obteve vitória em 28 das 92 cidades com mais de 200 mil eleitores. E, assim, prefeitos tucanos vão administrar municípios que somam 23,7% da população brasileira. É o maior índice para um partido em eleições municipais desde 2000.
O segundo turno das eleições na Grande São Paulo consolidou o fim do chamado “cinturão vermelho” com a derrota nas urnas do PT em Mauá e Santo André.
A força do PSDB do governador Geraldo Alckmin na Região Metropolitana de São Paulo ficou consolidada.
Os tucanos conseguiram o feito inédito de obter 11 prefeituras na Grande São Paulo. Além disso, o PSB, partido do vice de Alckmin, Márcio França, venceu em mais 5 cidades da região.
A vitória, expressiva, não pode fazer com que a Social Democracia, filosofia da qual faço parte, durma sobre louros.
É preciso avançar mais e mais, com coragem, consequência, transparência de ações e formação de novas lideranças.
Nesse quesito – novas lideranças – chamo especial atenção para a necessidade de um maior empenho do partido no mundo sindical.
É fundamental tingir de azul e amarelo sindicalistas jovens, que já desabrocham com a qualidade de líderes natos.
Isso, lógico, não pode ser feito por mera e simples cooptação, mas, sim, pelo intenso debate de ideais em torno de tudo aquilo que há de melhor para a sociedade do nosso País.
O sindicalista está próximo do trabalhador, da base daqueles que efetivamente constroem o Brasil. Sabem de suas querências e necessidades. São, desta forma, pessoas imprescindíveis para aproximar o PSDB do povo que produz riquezas.
Cada vez mais próximo da sociedade mais necessitada, ouvindo suas aspirações e concretizando-as de forma conjunta. Assim quero o meu, o nosso, PSDB. Sempre na luta contra o desemprego e a desigualdade.
 
Ramalho da Construção
Sindicalista e deputado estadual pelo PSDB-SP

siga-nos