Cristiano, guerreiro que colore nas alturas

Cristiano Oliveira, de 40 anos, orgulha-se de pertencer à construção civil. Ao todo, são 19 anos dedicados à categoria. Dentre as funções, ele exerce a de pintor imobiliário, pintor industrial, e aquela que mais ama: pintor cordeiro, o que vive colorindo nas alturas.

 

O paulistano é apaixonado pelo que faz. Segundo ele, os espaços ficam mais bonitos depois de seu trabalho. “Olha, amo o que faço. Adoro a sensação de colorir ainda mais as vidas e os ambientes das pessoas, tudo fica mais lindo depois da pintura”, conta o companheiro.

 

Segurança

 

Quando consegue trabalhar como pintor cordeiro, Cristiano não dispensa os EPIs (Equipamentos de Proteção Individual).

 

“Não deixo de lado meus equipamentos de proteção. Todos os dias temos que voltar para casa com segurança. Pois, as pessoas que amamos, nossas famílias, nos esperam, não é mesmo? Não podemos deixar de voltar”, afirma.

 

Pra se proteger, o pintor usa o ponto de ancoragem, cordas, cadeirinha, óculos, luvas, cinto de segurança, capacete, trava queda e guia do cinto. Além dos equipamentos, ele nunca se arrisca nas alturas em dias de chuva com ventos fortes e sempre mede sua pressão arterial.

 

Aperfeiçoamento

 

No segundo semestre do ano passado, Cristiano realizou um curso para se especializar ainda mais na função. “Conhecimento nunca é demais. Por isso, decidi fazer o curso de pintor industrial na Universidade Futura Pintor. É sempre bom estudar e se manter atualizado”, pontua.

 

Sonho

 

Cristiano, por ser apaixonado pelas alturas, tem o sonho de descer um dos prédios mais altos da cidade de São Paulo: o Edifício Itália. “Dizem que ele é um dos mais altos da região. Por isso, quero desafiar a minha coragem e descê-lo”, conclui Cristiano.

 

 

siga-nos